A CONVIVÊNCIA DAS CRIANÇAS COM OS ANIMAIS

A convivência das crianças com os animais

Além de uma relação de amor, ter um animalzinho de estimação é assumir um compromisso e responsabilidade. As crianças costumam implorar para ter um animal de estimação quando pequenas. Se os filhos não nascem em casas que já tenham gatos, cachorros ou tartarugas; elas costumam vencer a resistência dos pais pelo cansaço. 

Companheiros e fiéis, os cachorros e gatos podem trazer muitos benefícios e desenvolver aspectos sociais e emocionais nas crianças. Estudos mostram que viver com eles promove a saúde física, diminui a solidão, a depressão e a ansiedade. 

Por isso, a pediatra e nutróloga Dra. Denise Lellis responde no nosso vídeo 4 perguntas sobre a importância dessa convivência e também os pontos que merecem atenção nessa relação. 

1- Há contraindicações para bebês e crianças que são criados com animais? 

Não existe nenhuma contra-indicação na convivência entre crianças e animais domésticos. O que precisamos tomar cuidado é que haja respeito de ambas as partes. 

Por exemplo, os gatos costumam ser mais invasivos, se deixar eles sobem nos berços, moisés ou trocadores. Não é indicado, que o bichinho suba e durma na cama das crianças. E, em circunstância nenhuma, permitir que o animal lamba a boca ou olhos dos bebês. 

Também é preciso lembrar que o animal deve estar devidamente vacinado, com o vermífugo e a higiene em dia. 

2- Essa relação deve ser criada a partir de algum momento específico ou pode ser feita desde sempre? 

Existem estudos que mostram que as crianças que tem contato com os animais, da gestação até a primeira infância, tem menos risco de alergia e uma imunidade melhor. 

Trata-se do paradigma da higiene. Originalmente proposta por David Strachan em 1989, a Hipótese da Higiene sugere que infecções na primeira infância diminuem a tendência para desenvolver doenças alérgicas. Ou seja, crianças com estilo de vida ocidentalizado leva a uma crescente incidência de doenças alérgicas e auto-imunes. 

3- Essa relação é saudável para ambos os lados? Se sim, de que forma? 

Sim, a convivência na mesma casa, a brincadeira, é muito saudável e positivo para ambas as partes. 

Os animais ficam mais calmos, também aprendem limites e ficam mais carinhosos por aprenderem a conviver com crianças. Já as crianças que convivem com animais tem mais uma chance de aprender a respeitar o outro. 

Muitas crianças querem brincar com o animal como se fossem brinquedos. Cabe aí a interferência dos pais e da família para que a criança aprenda a respeitar o animal como um ser vivo, que sente dor, que também pode ficar stressado. 

4- Crianças que convivem com animais desenvolvem algo que não seria desenvolvido se essa relação não existisse? 

É muito interessante para o desenvolvimento emocional e social dessa criança a convivência com um animalzinho. A criança, quando bem orientada, aprende a respeitar a natureza, e percebe que o animal também precisa de cuidados. Dessa forma, ela tende a se tornar uma pessoa mais sensível em relação à natureza. 

Fonte: Blog Eu amo meu bebê https://euamomeubebe.com.br/artigos/cL-a-convivncia-das-crianas-com-os-animais

Artigos criados 99

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Artigos relacionados

Digite acima o seu termo de pesquisa e prima Enter para pesquisar. Prima ESC para cancelar.